Maior rede chinesa de supermercados estuda investimentos no Brasil

23 November 2005

São Paulo, Brasil, 23 Nov – O grupo Bailian, a maior rede de supermercados da China, está a analisar a realização de investimentos no Brasil, nomeadamente no sector agrícola, foi terça-feira anunciado em São Paulo.

No termo de uma visita ao Brasil para conhecer as potencialidades daquele mercado, o director operacional Hu Jian salientou que o principal interesse do grupo chinês é a importação de produtos agrícolas não perecíveis do Brasil.

“O maior empecilho é a distância entre os dois países, mas estamos aqui para prospectar e fechar negócios”, afirmou o executivo em declarações à imprensa brasileira.

O presidente do Bailian, Wang Zongnan, realçou que o principal objectivo do grupo é manter a manter a liderança do mercado chinês, sobretudo após a entrada de grupos estrangeiros do sector.

As redes francesa Carrefour, a norte-americana Wal-Mart e a alemã Metro AG iniciaram recentemente actividades na China, depois que o país abriu o sector de retalho ao investimento estrangeiro.

A abertura do mercado chinês de retalho decorreu no ano passado, na sequência de compromissos assumidos pela China com a Organização Mundial de Comércio (OMC).

O grupo Bailian detém actualmente cerca de 6.000 supermercados, 250.000 trabalhadores, uma facturação anual de 22 mil milhões de dólares, com acções cotadas nas bolsas de Hong Kong e Xangai.

Actualmente, o mercado brasileiro do sector de retalho é dominado por quatro grandes redes, a brasileira Pão de Açúcar, Carrefour, Wal-Mart e a portuguesa Sonae.

No início de 2004, o Wal-Mart adquiriu a rede Bompreço, líder do segmento na região Nordeste do Brasil, por 300 milhões de dólares, o que acirrou a disputa pelo retalho brasileiro.

Com a aquisição, a rede norte-americana passou a ocupar a terceira posição no “ranking” brasileiro do sector, até então ocupado pelo Sonae.

Notícias recentemente publicadas pela imprensa brasileira referem que o Wal-Mart está próximo de assumir o controlo dos activos do Sonae no Brasil por cerca de 820 milhões de dólares.

A venda dos activos do Sonae, nomeadamente na região Sul do país, à rede Wal-Mart representará a saída do grupo português do sector de distribuição no Brasil. Recentemente, o grupo português vendeu dez lojas que detinha no Estado de São Paulo ao Carrefour por cerca de 140 milhões de dólares.

Caso o Wal-Mart adquira a rede Sonae, a facturação anual da rede norte-americana vai passar dos actuais 2,56 mil milhões de dólares para 4,42 mil milhões de dólares. Esse aumento de facturação vai aproximar a rede norte-americana dos líderes do sector, segundo dados da Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

O líder do sector no Brasil é a rede Pão de Açúcar, com uma facturação anual de 6,4 mil milhões de dólares, seguido pelo Carrefour com 5,05 mil milhões de dólares.

Actualmente, o grupo Sonae possui 150 lojas com as bandeiras Hipermercados BIG, Nacional Supermercados, Mercadorama e Maxxi Atacado, sendo líder do sector na região Sul do Brasil. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH