Défice da balança comercial da União Europeia com a China cresce 37%

24 November 2005

Lisboa, Portugal, 24 Nov – O défice da balança comercial da União Europeia (UE) com a China aumentou 37 por cento até Agosto, para 64,9 mil milhões de euros, revelam os últimos dados do organismo estatístico europeu, Eurostat.

No referido período, as exportações dos 25 países da UE para a China somaram 32,6 mil milhões de euros, mais dois por cento do que entre Janeiro e Agosto do ano passado.

As importações de produtos chineses cresceram 23 por cento, para 97,5 mil milhões de euros.

De entre os vários saldos comerciais da UE, o da China é actualmente o que apresenta um défice maior, seguido da Rússia, negativo em 32,2 mil milhões de euros depois de um agravamento de cerca de um terço este ano, devido ao aumento do preço do petróleo nos mercados internacionais.

É justamente no sector da energia que se regista um maior aumento do défice da UE, que ascendia até Agosto a 136,4 mil milhões de euros, mais 49 por cento do que em igual período de 2004.

Apesar de aumentos nas exportações de maquinaria e veículos, o défice da balança comercial europeia agravou-se este ano, de 46 mil milhões de euros para 72,2 mil milhões.

As vendas dos 25 países da UE ao estrangeiro cresceram nove por cento, para 711,5 mil milhões de euros, enquanto que as compras ascenderam a 757,5 mil milhões de euros, mais 12 por cento do que no ano passado.

De acordo com os últimos dados do Eurostat, os saldos comerciais mais positivos registam-se na Alemanha (109,1 mil milhões de euros), Holanda e Irlanda e os maiores défices registam-se no Reino Unido (65,5 mil milhões deeuros), Espanha e França. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH