Dirigentes chineses querem mais consumo interno em 2006

2 December 2005

Pequim, China, 02 Dez (Lusa) – A China anunciou quinta-feira em Pequim planos para controlar o investimento e aumentar o consumo privado no âmbito das grandes metas económicas para 2006.

“O crescimento rápido é imperativo para aumentar o poder económico do país e aliviar as contradições do desenvolvimento económico e social de acodo com um documento assinado pelos presidente e primeiro ministro da China.

O documento, de Hu Jintao e Wen Jiabao, considera que devem ser feitos esforços para ajustar a relação entre nvestimento e consumo através do aumento do consumo interno.

Os dois dirigentes consideram ainda haver a necessidade urgente de ajudar as populações rurais pobres que foram esquecidas durante as duas décadas de deenvolvimento económico.

A economia chinesa, ao longo da última década tem sido liderada essencialmente pelo investimento, assinala o documento.

O presidente Hu e o primeiro ministro Wen consideram ainda que a China deve manter um “investimento razoável” ao mesmo tempo em que controla os novos projectos.

O investimento do governo em estradas, centrais energéticas, e outras infraestruturas aumentou 24 por cento nos primeiros novemeses do ano comparado com igual período de 2004.

O governo comprometeu-se ainda emmelhorar a estrutura das impotaçõs e exportações e resolver os desiquilibrios comerciais numa referência ao facto das exportações chinesas serem largamente suportadas por mão-de-obra intensa e barata.

A economia chinesa, a segunda maior da Ásia, cresceu 9,4 por cento nos primeiros nove meses do ano tendo a inflação caído para os dois por cento.
O documento refere que serão tomadas medidas adicionais para aumentar o poder económico dos camponeses através de maior investimento na educação, cultura e saúde pública. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH