Millennium bcp negoceia venda de 28,6% do maior banco moçambicano

5 December 2005

Lisboa, Portugal, 05 Dez – O Millennium bcp, maior instituição financeira privada de Portugal, está a negociar a venda de 28,6 por cento do moçambicano Banco Interncional de Moçambique a um parceiro, sem abdicar do controlo deste banco, e quer entrar no mercado de Angola, foi anunciado na sexta-feira em Lisboa.

Em declarações ao jornal Público, o presidente do Millenium, Paulo Teixeira Pinto, adiantou que o governo moçambicano mandatou o banco português para vender a participação directa de 12 por cento que ainda detém no Banco Internacional de Moçambique.

Paralelamente, o Millennium bcp está negociar a venda de 16,6 por cento da sua participação, que pretende reduzir para 50 por cento mais uma acção, por forma a manter o controlo da instituição bancária moçambicana, a maior do país.

O objectivo da operação é permitir a entrada de um novo parceiro, “sem pôr em causa a consolidação da instituição e o seu crescimento orgânico”, uma vez que o banco pretende “manter a liderança” no sector bancário, afirmou o presidente do banco português.

“O BIM é para continuar sob controlo do Millennium bcp. A nossa operação em Moçambique não é meramente financeira, daí a nossa intervenção noutros domínios, como a educação e a saúde”, adiantou Teixeira Pinto.

O responsável do Millenium adiantou ainda que a venda da participação está a ser negociada com “investidores internacionais com presença na África Austral”, cujo nome não especificou, e que a operação deverá estar concluída até Junho de 2006.

O Estado moçambicano deverá manter uma participação indirecta de quatro por cento no BIM, através da Empresa Moçambicana de Seguros.

O Millennium bcp, que investiu perto de 60 milhões de euros no sector bancário moçambicano desde 1995, espera receber este ano os primeiros dividendos da sua participação no BIM.

O banco moçambicano lucrou 7,9 milhões de euros até final do terceiro trimestre deste ano, 46 por cento acima do registado em igual período do ano passado.

A venda da participação no BIM visa ainda libertar recursos para a internacionalização do grupo, orientada para os mercados da Polónia e Grécia, nos quais já tem quotas de mercado importantes, e para a Roménia, onde está a disputar a fase final da privatização de um dos maiores bancos, o BCR.

Nos horizontes do Millenium, segundo Teixeira Pinto, está ainda Angola, mercado em que pretende entrar através da constituição de um novo banco.

em Agosto deste ano foi anunciado que o Millenium bcp vendeu ao Dah Sing Bank de Hong Kong a totalidade do seu capital no Banco Comercial de Macau.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH