Agência portuguesa para as exportações abre centro de distribuição na China

13 December 2005

Lisboa, Portugal, 13 Dez – A agência portuguesa para a promoção das exportações, ICEP Portugal, vai abrir um centro de distribuição de produtos na China em 2006, afirmou segunda-feira à Macauhub fonte daquele organismo.

Em paralelo ao centro de distribuição, o ICEP irá instalar um centro de apoio à instalação de empresas portuguesas.

Os planos da direcção, presidida por João Marques da Cruz, vão no sentido de instalar o centro de distribuição em Pequim e o centro de negócios em Macau, mas a decisão ainda não foi formalmente tomada pelo conselho directivo do ICEP.

O centro de distribuição, adiantou, funcionaria simultaneamente como um “showroom” de produtos portugueses e como um armazém para as empresas portuguesas que pretendam iniciar actividades comerciais na China.

Para as empresas, este tipo de infra-estrutura apresenta a vantagem de permitir trazer produtos a apresentar ao mercado, nomeadamente através de acções de promoção, sem pagar taxas aduaneiras.

As taxas, explicou a fonte do ICEP, são apenas pagas quando os produtos entram no circuito comercial.

O ICEP tem ainda planos para abrir centros de distribuição semelhantes nos Estados Unidos e Brasil.

Quanto à instalação do centro de negócios, uma unidade de apoio à instalação de empresas portuguesas que pretendam iniciar actividades na China, a escolha deverá recair sobre Macau, e não Pequim, como inicialmente previsto.

A escolha de Macau, ainda não formalizada, justifica-se pela “maior proximidade cultural”, nomeadamente linguística e de funcionamento das instituições, que facilita a entrada na China, adiantou a mesma fonte.

Os centros de negócios do ICEP disponibilizam às empresas infra-estruturas físicas e apoio, nomeadamente comercial e jurídico.

As empresas a beneficiarem destas facilidades são previamente seleccionadas através de um concurso a nível nacional.

O ICEP tem actualmente sete centros de negócios no estrangeiro, estando prevista a abertura de mais cinco no próximo ano.

Dos novos cinco, estão confirmadas as localizações de Moscovo e Maputo, e em aberto as outras três, sendo quase certo que um deles será o de Macau.

No âmbito do plano de reforço das relações comerciais com a China, o ICEP planeia ainda, abrir uma delegação em Xangai, também em 2006.

No ano passado, a China foi o 27º cliente e 16º fornecedor de Portugal, com as vendas portuguesas naquele mercado a ascenderem a 101 milhões de euros.

Em visita a Portugal na semana passada, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, manifestou-se empenhado em contribuir para a duplicação do valor das trocas comerciais entre os dois países, nos próximos três anos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH