Falta de combustível na África do Sul alastra a países da região

15 December 2005

Maputo, Moçambique, 15 Dez – A falta de combustível na África do Sul está a afectar as exportações para os países vizinhos, como Moçambique e a Namíbia, cujo abastecimento depende das compras às refinarias da maior economia da região, foi hoje annciado oficialmente.

Segundo a agência de informação das Nações Unidas (IRIN), um número indeterminado de postos de abastecimento de combustível estão à míngua na Namíbia, Botsuana, Lesoto, Suazilândia e Moçambique, e alguns voos têm sofrido atrasos devido a dificuldades no reabastecimento.

A falta de combustível começou na província do Cabo, Sudoeste da África do Sul, devido a interrupções na produção das refinarias da região, e tem vindo a alastrar ao resto do país.

As perturbações foram causadas por trabalhos de modernização em curso para adaptar as refinarias às novas normas de produção de combustíveis, que entram em vigor no início do próximo ano.

As novas normas introduzidas pelo governo sul-africano proíbem a adição de chumbo à gasolina e obrigam à redução de enxofre no gasóleo.

Após um “briefing” no Parlamento sul-africano, o director da Associação da Indústria de Petróleo da África do Sul, Scott McClelland, confirmou a existência de dificuldades de abastecimento, mais acentuadas no Cabo, e assumiu responsabilidade pela situação.

“Os problemas de abastecimento não foram causados pela política de combustíveis limpos, mas pela insuficiência das reservas necessárias para o período em que as refinarias fazem as adaptações – subestimámos o tempo necessário para pôr as refinarias a funcionar em pleno”, afirmou.

De acordo com a IRIN, as autoridades sul-africanas estão a procurar reforçar as importações de combustível, mas não foi ainda anunciado qual o efeito desta medida na recomposição das depauperadas reservas de combustíveis. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH