Mozal e Hidroeléctrica de Cahora Bassa lideram lista das 100 maiores empresas de Moçambique

16 December 2005

Maputo, Moçambique, 15 Dez – A fábrica de alumínio MOZAL e a Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB), ainda detida maioritariamente por Portugal, classificaram-se em 2004, como as duas maiores firmas de Moçambique por volume de negócios, segundo a pesquisa anual da empresa de auditoria KPMG.

Segundo os resultados do estudo, divulgados quarta-feira em Maputo, a MOZAL, com capitais australianos, sul-africanos e japoneses, foi a líder das 100 maiores empresas moçambicanas, com um volume de negócios de 1014 milhões de dólares e resultados líquidos de 272 milhões de dólares.

Por sua vez, a HCB, sobre a qual já há um acordo com o Governo português de reversão para Moçambique, é a segunda maior empresa do país, também pelo segundo ano consecutivo, com um volume de negócios de 959 milhões de dólares e um lucro de 538 milhões de dólares, significativamente superior ao obtido pela Mozal, refere a KPMG.

A empresa de telefonia móvel Moçambique Celular ocupa o terceiro lugar da lista das 100 maiores empresas moçambicanas, com um volume de negócios de 139 milhões de dólares, seguida pela petrolífera Petromoc, em quarto, com um volume de negócios de 134 milhões de dólares, com praticamente o mesmo valor a ser obtida pela quinta classificada, a firma de telefonia fixa Telecomunicações de Moçambique (TDM).

A pesquisa da KPMG indica que o volume de negócios das 100 maiores empresas moçambicanas registou um incremento de 47 por cento para cerca de 3600 milhões de dólares.

Além dos resultados líquidos e do volume de negócios, a pesquisa da KPMG sobre as 100 maiores empresas moçambicanas valora igual e cumulativamente o activo líquido, capitais próprios, custos operacionais, número de trabalhadores e lucro por trabalhador.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH