China aceita restringir venda de têxteis ao Brasil, diz ministro brasileiro

19 December 2005

Hong Kong, China, 19 Dez – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil, Luiz Fernando Furlan, afirmou este fim-de-semana em Hong Kong ter chegado a acordo com a China para a redução das exportações têxteis para o mercado brasileiro até 2008.

As limitações em causa dizem respeito a tecidos sintéticos fios de poliéster texturizados, tecidos de seda, veludos, “sweaters” e “pullovers”, bordados e camisas de malha, cujas importações terão limites de crescimento.

Em Outubro passado, o governo Luiz Inácio Lula da Silva decidiu regulamentar a possibilidade de adopção de salvaguardas (barreiras comerciais) para conter o forte crescimento das importações da China.

O Brasil, entretanto, decidiu negociar com a China um acordo de auto limitação para as exportações do país asiático, o que evitaria a necessidade da imposição de salvaguardas. Mas a China mostrava resistência em aceitar essa proposta.

O acordo anunciado por Furlan foi obtido em encontros bilaterais realizados durante a 6ª Reunião Ministerial da Organização Mundial do Comércio, que domingo concluiu os seus trabalhos.

O ministro brasileiro adiantou que a oferta brasileira foi aceite em “princípio” mas que o assunto ainda será tratado em uma reunião prevista para ocorrer em Janeiro, em Pequim. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH