Sul-africana Sasol quer alargar área de exploração de reservas de gás em Moçambique

17 January 2006

Maputo, Moçambique, 16 Jan – O grupo petroquímico sul-africano Sasol anunciou hoje pretender aumentar a área de exploração e produção de gás em Moçambique nas zonas de Temane e Pande, na província de Inhambane.

A empresa de “research” KPMG de Moçambique refere, num relatório hoje divulgado, que o responsável da Sasol em Moçambique, Jan Stander, afirmou que a empresa está “muito empenhada em serviços de prospecção em áreas que se situam nos arredores dos campos já em exploração, por forma a tentar descobrir gás adicional”.

“O mercado existe, estamos nesse processo de exploração e se conseguirmos ser bem sucedidos, poderemos expandir o negócio”, adiantou.

A unidade de processamento de gás da Sasol em Moçambique, um investimento de 1,2 mil milhões de dólares concluído em 2004, tem uma capacidade de produção anual de 80 milhões de gigajoule, que nos próximos anos será gradualmente aumentada para 120 milhões.

“ O objectivo que nos propusemos alcançar inicialmente quando estabelecemos o negócio em Moçambique, em termos de volume de gás e preços, está a ser alcançado. Em relação ao negócio em si estamos bastante satisfeitos”, afirmou Stander.

O gás é extraído dos jazigos de Temane e Pande e, depois de processado é conduzido através de um gasoduto de 865 quilómetros para Secunda, na África do Sul, onde entra no circuito de distribuição doméstico.

Em meados de 2005, a Sasol assinou um acordo com o governo de Moçambique para explorar uma área “offshore” de mais de 11 mil quilómetros quadrados na costa moçambicana.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH