Criada companhia aérea de baixo custo Macau Asia Express

25 January 2006

Macau, China, 25 Jan – A Macau Asia Express, a nova companhia aérea de baixo custo do território, foi terça-feira constituída em Macau tendo como accionistas a Air Macau, China National Aviation Co. (CNAC) e a Shun Tak Holdings, do magnata do jogo Stanley Ho.

A Air Macau, controlada em 51 por cento pela CNAC, controla 51 por cento do capital da nova companhia com os restantes 49 por cento a serem detidos pela empresa ST-CNAC, uma “joint-venture” entre a Shun Tak e a CNAC.

Com um capital social de 30 milhões de dólares, a nova companhia aérea pretende iniciar operações no último trimestre de 2006 trazendo a Macau turistas do continente chinês e de outros mercados regionais ainda não servidos pela Air Macau.

A nova transportadora vai operar com aviões em regime de locação com uma capacidade entre 150 a 180 lugares e deverá constituir uma frota própria com 15 a 20 aparelhos num prazo de três anos.

Concretizado o acordo de criação da Macau Ásia Express, Stanley Ho passa a deter directa e indirectamente quotas em quatro companhias aéreas no eixo entre Macau e Hong Kong – Air Macau, Macau Ásia Express, Golden Dragon e Hong Kong Express.

Stanley Ho está igualmente ligado à companhia aérea Golden Dragon Airlines, onde tem uma quota de 80 por cento, que vai iniciar as operações no segundo semestre deste ano, utilizando aviões de médio curso da fabricante brasileira Embraer.

A Golden Dragon Airlines, sedeada em Macau e detida maioritariamente pela empresa de helicópteros East Asia Airlines, de Stanley Ho, vai ser gerida pela companhia Hong Kong Express, onde o magnata do jogo tem 51 por cento das acções, o que representa cerca de 50 milhões de euros.

A Hong Kong Express iniciou recentemente voos em Hong Kong com aviões brasileiros da Embraer tendo como destino imediato Taichung, na China, e a curto prazo Guangzhou (Cantão), Nanjing e Hangzhou.

Além da Golden Dragon, também a Viva Macau está no mercado para operar as rotas de longo curso de passageiros e carga para a Ásia, Médio Oriente, Europa, Austrália, América, Japão e Coreia não exploradas ainda pela Cathay Pacific de Hong Kong.

Por seu turno, a companhia aérea Viva Macau está em negociações com a Boeing para a compra de 12 aparelhos B787-800 para a sua frota, num negócio que envolve verbas de 1,75 mil milhões de dólares americanos e está a ser finalizado em Macau.

Com o inicio de actividade previsto para meados deste ano, com um voo entre Macau e Jacarta, a Viva Macau, primeira companhia de baixo custo criada na região asiática para operações de longo curso, optou pelo gigante americano em detrimento da europeia Airbus.

A opção foi feita depois da Viva Macau garantir que a Boeing conseguiria fornecer os B767 com maior autonomia de voo até à chegada dos novos B787-800, possível apenas a partir de 2010. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH