Receitas dos casinos em Portugal crescem 3,52% em 2005

25 January 2006

Lisboa, Portugal, 25 Jan – As receitas dos casinos em Portugal cresceram 3,52 por cento em 2005, para 310 milhões de euros, segundo dados oficiais divulgados em Lisboa, uma quase estagnação em relação ao ano anterior, considerando a taxa de inflação.

Os dados da Inspecção-Geral de Jogos, citados terça-feira pelo Diário Económico, dão conta de que as receitas dos jogos tradicionais registaram um aumento expressivo, 8,34 por cento, para 41,4 milhões de euros, enquanto que as das máquinas automáticas cifraram-se em 266,3 milhões de euros, mais 2,86 por cento do que no ano anterior.

As salas de bingo, segundo a mesma fonte, perderam receitas na ordem de um por cento no ano passado, ficando-se pelos 2,4 milhões de euros.

O maior grupo de jogo em Portugal, Estoril-Sol, de Stanley Ho, viu as receitas crescerem dois por cento, para 177,8 milhões de euros.

Das duas salas exploradas por este grupo, a da Póvoa do Varzim cresceu 6,8 por cento e a do Estoril, a maior da Europa, obteve receitas de 127 milhões de euros, mais um por cento.

O grupo Solverde, que explora quatro casinos (Espinho, Vilamoura, Praia da Rocha e Monte Gordo) encaixou 94,8 milhões de euros, mais 6,5 por cento do que no ano anterior.

Em declarações ao Diário Económico, os responsáveis dos dois grupos atribuíram a quase estagnação de receitas ao fraco crescimento económico em Portugal e à concorrência às salas de jogo, nomeadamente dos jogos de apostas e dos casinos on-line.

Em meados de Abril deste ano, o grupo Estoril Sol vai passar a ter uma terceira sala de jogo em Portugal, que deverá gerar receitas entre 85 milhões de euros e 90 milhões. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH