Brasil acelera estudos para construção do gasoduto da América do Sul

17 February 2006

São Paulo, Brasil, 17 Fev – O Governo brasileiro decidiu acelerar os estudos para construção de uma rede de gás que transportará o produto da Venezuela até a Argentina, por considerar um projecto estratégico, foi hoje divulgado.

“Do ponto de vista da infra-estrutura regional, é o projecto mais importante para América do Sul em dez anos”, disse o ministro brasileiro de Minas e Energia, Silas Rondeua, em declarações ao jornal Valor Económico.

“É uma rede que permitirá a integração sul-americana através do gás natural”, acrescentou o ministro.

Equipas técnicas do Brasil, Venezuela e Argentina estão reunidas, desde quarta-feira, no Rio de Janeiro para mais uma ronda de discussões.

No mês passado, os governos do Brasil, Argentina e da Venezuela assinaram um acordo para iniciar os estudos de viabilidade para a construção de um gasoduto entre os países, com cerca de 10 mil quilómetros de extensão.

O gasoduto que ligará o sector energético de diversos países da América do Sul deverá custar cerca de 23 mil milhões de dólares.

O projecto do gasoduto deverá ser apresentado em Julho deste ano e depois apresentado ao sector privado, com o objectivo de atrair nvestidores estrangeiros para o financiamento da obra.

No dia 10 de Março, os presidentes do Brasil, Argentina e Venezuela deverão apresentar os detalhes do projecto, que já é considerado a grande obra dos próximos 50 anos na América do Sul.

O gasoduto partirá da região de Puerto Orda, na Venezuela, e seguirá para Manaus, capital do Estado brasileiro do Amazonas, devendo cruzar o Brasil e chegar ao Uruguai, Argentina, Paraguai, Chile, Bolívia e, possivelmente, Peru e Colômbia.

A obra permitirá a exportação de aproximadamente 150 milhões de metros cúbicos de gás venezuelano por dia, que deverão garantir o crescimento industrial dos países da região. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH