Guiné-Bissau vai entrar na Agência de Garantias de Investimentos Multilaterais

22 February 2006

Bissau, Guiné-Bissau, 22 Fev – Portugal vai financiar a entrada da Guiné-Bissau na Agência de Garantias de Investimentos Multilaterais (Miga), ainda este ano, dotando o país de um dos principais instrumentos de atracção de capitais externos, disse terça-feira em Bissau o ministro da Economia.

De acordo com Issufo Sanhá, o acordo de princípio entre as autoridades de Bissau e de Lisboa para que Portugal pague os valores exigidos pela seguradora do Banco Mundial (BM) já está estabelecido faltando apenas “alguns pormenores”.

O ministro guineense não quis anunciar os valores em causa, mas adiantou que a Guiné-Bissau conhecerá um “salto qualitativo” em termos do ambiente de negócios e investimentos com a entrada na Miga que, na África
subshaariana actua em 26 países.

Uma das maiores agências mundiais de seguro de capitais e bens, a Miga irá proporcionar garantias contra os riscos de negócio e investimento na Guiné-Bissau, país conhecido pelas turbulências políticas nos últimos anos, um facto que tem levado a que os operadores hesitem em investir, disse Issufo Sanhá.

O ministro da Economia guineense fez estas revelações durante as cerimónias de apresentação aos empresários e jornalistas do Fundo Africano de Garantia de Cooperação Económica (Fagace).

A Guiné-Bissau já tem tudo formalizado para a sua adesão ao Fagace no próximo dia 07 de Março, indicou ainda Issufo Sanhá, anunciando que com esta seguradora, que actua em 12 países africanos, os operadores que operam no país podem desenvolver as suas actividades contando com outras
garantias. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH