Operadora “charter” Alcionair voa para Guiné-Bissau a partir de Março e aguarda autorização em Cabo Verde

24 February 2006

Cidade da Praia, Cabo Verde, 24 Fev – A operadora “charter” Alcionair, de capital maioritariamente português, vai passar a voar para a Guiné-Bissau a partir de Março e aguarda por licenciamento oficial para iniciar operações em Cabo Verde, revelou hoje o sócio-gerente da empresa.

De acordo com Armando Ferreira, a operadora, detida pelas portuguesas Air Luxor e Soltrópico e pela cabo-verdiana Morabitur, “conseguiu obter o certificado de operações aéreas na Guiné-Bissau e já está capacitado para voar, no mês de Março”.

O início de operações na Guiné, com enfoque no mercado dos emigrantes, foi uma forma encontrada para rentabilizar as operações da companhia “charter”, que aguarda desde Outubro do ano passado por autorização para Cabo Verde.

Apesar do atraso na aprovação pelo Instituto da Aeronáutica Civil, Armando Ferreira considera que Cabo Verde “é e foi sempre o grande interesse” da Alcionair, particularmente o crescente mercado do turismo no arquipélago, que tem vindo a alargar-se pelas várias ilhas.

A operadora “charter” integra a transportadora aérea Air Luxor, o operador turístico Sol Trópico, e a Morabitur, que gere vários destinos turísticos em Cabo Verde. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH