Embaixador de Angola diz que Luanda quer reforçar cooperação económica com a China

28 February 2006

Pequim, China, 28 Fev – O embaixador de Angola na China, João Manuel Bernardo, manifestou o desejo de Luanda em aprofundar cada vez mais a cooperação económica com a China actualmente um dos principais parceiros económicos de Angola.

“O volume de negócios entre Angola e a China foi de 4,2 mil milhões de dólares em 2005, o que torna Angola no segundo maior parceiro comercial da China em África, a seguir à África do Sul”, referiu o diplomata em declarações à Lusa- agência de notícias de Portugal em Pequim.

“A guerra destruiu e nós precisamos de construir e reconstruir,” disse João Manuel Bernardo, adiantando que “o parceiro que apareceu em melhores condições para ajudar a realizar os projectos de reconstrução foi, sem dúvida, a República Popular da China.”

O embaixador de Angola recordou que “as empresas chinesas têm dado um apoio muito grande nesta tarefa urgente de reconstrução do país, nomeadamente na reparação, reabilitação ou construção de infra-estruturas, como estradas, pontes e caminhos-de- ferro,” disse o embaixador.

No final de 2004, a China concedeu a Angola empréstimos de 2 mil milhões de dólares para a reconstrução de infra-estruturas, em troca de 10 mil barris de petróleo por dia e a uma taxa de 1,5 por cento a 17 anos.

Do total do empréstimo, 70 por cento tem de ser subcontratado a empresas chinesas.

A seguir à Arábia Saudita, Angola é o segundo maior fornecedor de petróleo à China, o segundo maior consumidor mundial, e exporta para o gigante asiático 25 por cento da sua produção.

O sector petrolífero representa 40 por cento do Produto Interno Bruto do país e cerca de 90 por cento dos rendimentos do Governo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH