Bolsa de Valores e investimento no sector não-petrolífero aumentam receitas Angola

9 March 2006

Londres, Reino Unido, 09 Mar – A criação da bolsa de valores de Angola e o estímulo governamental ao investimento no sector petrolífero vão contribuir para diversificar as fontes de receitas do país, considera a consultora Business Monitor na sua última análise sobre o país.

No relatório divulgado esta semana, a consultora baseada em Londres considera “um desenvolvimento muito positivo” os esforços do Ministério das Finanças de Angola para incentivar o investimento em sectores como a indústria e construção, “dada a actual dependência do país em relação à indústria petrolífera”.

A Business Monitor refere que o investimento nos sectores exteriores ao petróleo e diamantes totalizou 123 milhões de euros no primeiro semestre do ano passado, de acordo com os últimos dados disponibilizados pela agência para o investimento angolana.

As projecções oficiais para estes sectores apontam para um crescimento de 11,9 por cento em 2006.

A consultora destaca o contributo para este crescimento das empresas chinesas, “que têm vindo para o país depois do empréstimo de dois mil milhões de euros concedido pelo Eximbank da China”.

Outra “notícia positiva”, e que também alargará as fontes de receitas do Estado, é a criação da nova bolsa de valores, que deverá entrar em funcionamento no terceiro trimestre deste ano, segundo as últimas previsões.

“A criação de uma bolsa de valores será não apenas um símbolo do desenvolvimento dos mercados de capitais de Angola, mas garantirá também ao Governo uma outra fonte de receitas, através de impostos”, afirma a Business Monitor.

O mercado accionista deverá ser lançado com uma capitalização inicial de perto de seis mil milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH