Caixa Geral de Depósitos elege Angola entre mercados prioritários

10 March 2006

Lisboa, Portugal, 10 Mar – A Caixa Geral de Depósitos elege Angola como um dos seus dois mercados prioritários e quer ter até um quinto de quota de mercado dentro de três anos, afirmou o presidente do banco público português, o maior do país.

“O essencial da nossa estratégia passa por lançar Angola e reestruturar Espanha”, afirmou Carlos Santos Ferreira, presidente do Conselho de Administração da CGD, em entrevista quinta-feira ao Jornal de Negócios em Lisboa.

O banco público português, que esta semana apresentou lucros de 538 milhões de euros, lançou no início do ano uma parceria com o espanhol Santander para Angola, através do Banco Totta Angola, onde pretende investir até 100 milhões de euros.

“Acreditamos que dentro de três anos conseguiremos ter 15 por cento a 20 por cento de quota de mercado. Ou seja, no mínimo triplicar a actual”, afirmou.

O mercado bancário angolano é actualmente dominado pelo público Banco de Poupança e Crédito e o Banco Fomento Angola, controlado pelo português BPI, que no ano passado alcançou a liderança na concessão de crédito.

Também o Millennium Bcp, maior banco privado português, recebeu recentemente autorização para criar um banco de direito local e pretende abrir 18 balcões no país.

De acordo com Santos Ferreira, a CGD, que através do acordo de parceria poderá aumentar para 51 por cento a sua participação no Totta angolano, está actualmente a discutir com o Santander “o plano de negócios, em termos de activos, balcões, créditos, quotas”.

Entre as instituições financeiras participadas no estrangeiro com melhor evolução, Santos Ferreira destaca o sul-africano Mercantile, “que passou a dar lucro”, e o BNU de Macau, “que praticamente triplicou resultados”.

O grupo Caixa lucrou 538 milhões de euros no ano passado, mais 29 por cento do que no ano anterior, com o produto bancário a crescer na ordem de 24 por cento. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH