China autoriza exportações do Brasil de soja transgénica por cinco anos

17 March 2006

Brasília, Brasil, 17 Mar – O governo brasileiro anunciou quinta-feira que a China autorizou o Brasil a continuar a exportar soja geneticamente modificada para o seu país por um prazo de cinco anos.

A decisao foi tomada depois de uma missão brasileira se ter deslocado à China para negociar com o Ministério da Agricultura chinês um prazo maior na certificação do produto brasileiro uma vez que anteriormente as autorizações para importação da soja brasileira eram feitas anualmente.

A Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) do Brasil anunciou que a partir de agora a China autorizou o Brasil a continuar a exportar soja geneticamente modificada para o seu país por um prazo de cinco anos.

“Conseguimos o máximo que a legislação deles permite. Essa decisão representa uma maior previsibilidade na exportação brasileira de soja para a China”, afirma a Coordenadora de Acordos Bilateraisdo MAPA, Denise Euclydes Mariano, que integrou a missão que visitou a China entre os dias 6 e 9 de Março.

As exportações de soja representam aproximadamente 25 por cento das exportações brasileiras para a China.

De acordo com o governo chinês, aproximadamente 30 por cento da soja que a China importa é proveniente do Brasil.

Em 2005, o Brasil exportou 1,7 mil milhões de dólares de soja em grão para a China.

Os chineses são um dos principais compradores de produtos do agronegócio brasileiro.

Em Fevereiro, o sector exportou para o mercado chinês o equivalente US$ 124,7 milhões, 27,3 por cento do total exportado para a Ásia.

O plantio comercial de produtos geneticamente modificados no Brasil começou em 2004, quando o governo passou a autorizar provisoriamente o cultivo da soja transgênica.

No Brasil mais de 100 mil agricultores dedicam-se ao plantio de soja transgénica.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH