Governo de Moçambique vai rever legislação comercial, afirma a PricewaterhouseCoopers

21 March 2006

Joanesburgo, África do Sul, 21 Mar – O governo de Moçambique vai investir mil milhões de dólares na rede viária, redenominar a sua moeda e rever a legislação comercial a fim de facilitar os negócios, afirmou recentemente em Joanesburgo a PricewaterhouseCoopers (PwC) numa apresentação a investidores.

Dizendo que os turistas estrangeiros que visitam Moçambique se queixam de que as denominações do metical, que tem uma taxa de câmbio face ao dólar de 23 mil, são complicadas para os negócios, a PwC informou que a moeda moçambicana vai ser redenominada em Junho próximo.

A PwC anunciou igualmente que a lei comercial vai ser simplificada, que os produtores nacionais vão ser privilegiados nos concursos públicos, que vai ser criada uma autoridade fiscal e que alguns procedimentos judiciais vão ser reformados.

A burocracia governamental, corrupção e algumas leis fiscais com mais de um século de existência são encarados como alguns dos principais entraves ao investimento em Moçambique.

O investimento estrangeiro em Moçambique deverá aumentar como algumas empresas mineiras e de energia a manifestarem interesse em explorar os recursos naturais do país.

A brasileira Companhia Vale do Rio Doce anunciou em Janeiro passado que espera ter pronto em Julho o estudo de viabilidade das reservas de carvão de Moatize, que são estimadas em 2,5 mil milhões de toneladas.

A Vale do Rio Doce e a Petrobras acordaram igualmente em analisar o desenvolvimento das reservas de gás natural.

Outras empresas petrolíferas ganharam este mês a exploração de alguns lotes na bacia do Rovuma.

A economia de Moçambique deverá crescer entre 6 a 8 por cento nos próximos cinco anos depois de um crescimento de 10 por cento na última década. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH