Empresas brasileira e chinesa de tecnologias de informação assinam acordo de cooperação

23 March 2006

Xangai, China, 23 Mar – As empresas de tecnologias de informação brasileira Politec e chinesa Neusoft assinaram quarta-feira em Xangai um acordo que permite à primeira expandir-se para a China, no decurso de uma cerimónia que contou com a presença do vice-presidente brasileiro José Alencar.

O acordo prevê que as duas empresas trabalhem em conjunto para criar na China diversos centros de manutenção de programas informáticos, tendo como clientes o governo chinês e agentes privados, abrindo também espaço à contratação da parceria por países terceiros.

A Politec é a maior empresa brasileira de serviços de tecnologia da informação e a Neusoft é a líder de mercado no segmento de “outsourcing”, estando cotada na bolsa de valores da China desde 1996.

A assinatura do documento marcou o terceiro dia de visita oficial de seis dias à China do vice-presidente brasileiro José Alencar, que chegou no domingo a Xangai, o centro económico, comercial e financeiro da China, onde realiza a primeira parte da visita, de cariz comercial e económica.

Em Pequim, no dia 24 de Março, decorrerá a primeira reunião da COSBAN, a estrutura política que coordena as relações bilaterais entre a China e o Brasil, criada pelos dois países a 24 de Maio de 2004, por ocasião da visita à China do presidente da República do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva.

A COSBAN, que deverá promover, a cada 2 anos, contactos regulares entre altos representantes dos dois países, com o objectivo de avançar o relacionamento bilateral, será co-presidida, do lado brasileiro, pelo Vice-Presidente José Alencar e, do lado chinês, pela Vice-primeira-ministra Wu Yi.

O Brasil é o maior parceiro comercial da China na América Latina, com o comércio bilateral a bater o recorde de 12,16 mil milhões de euros em 2005, segundo números oficiais chineses.

Desde o início de 2006, o Brasil regista já um resultado positivo de 7,818 mil milhões de dólares tendo exportado para a China bens no valor de 24,549 mil milhões de dólares e importado produtos no valor de 16,731 mil milhões de dólares, informou a rádio chinesa CRI. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH