Empresa portuguesa de “software” Microfil prevê facturar nove milhões de euros em Angola

27 March 2006

Lisboa, Portugal, 27 Mar – A empresa portuguesa de “software” Microfil está a instalar-se em Angola, onde prevê facturar cerca de nove milhões de euros em 2007, fazendo de Angola o seu principal mercado.

Manuel Antunes, administrador da empresa de “software” de controlo e gestão de conteúdos, adiantou sexta-feira ao Jornal de Negócios que a expansão para Angola terá início com um projecto de gestão documental para o Conselho de Ministros angolano.

Este negócio, de perto de 1,5 milhões de euros, abriu a porta a contratos com outros ministérios e entidades públicas angolanas, e, segundo o mesmo responsável, 60 por cento dos nove milhões de euros previstos “poderão ser gerados ainda este ano”.

O mesmo responsável adiantou que estão em curso negociações com a petrolífera Sonangol, também para a instalação de “software” de gestão.

A empresa está ainda numa “shortlist” de um concurso para emissão de documentação pessoal (passaportes, bilhetes de identidade e cartas de condução), um projecto financiado pelo Banco Mundial, no valor de 22 milhões de dólares.

A Microfil está também a ultimar a sua instalação em Moçambique, onde prevê facturar três milhões de euros no próximo ano, primeiro exercício completo.

A empresa está a negociar o fornecimento de soluções informáticas ao Banco Internacional de Moçambique, do grupo português Bcp, e deverá apresentar em breve uma proposta para um concurso do Ministério da Argicultura, para emissão do “cartão do agricultor”, adiantou a mesma fonte.

Com a ajuda de Angola e Moçambique, Antunes prevê nos próximos dois anos triplicar a facturação da empresa, que no ano passado rondou os cinco milhões de euros. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH