Porto da Beira, em Moçambique, vai ser recuperado

27 March 2006

Maputo, Moçambique, 27 Mar – A Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM) vai investir 53 milhões de dólares na reabilitação do porto da Beira, na província de Sofala, afirmou quinta-feira em Maputo o presidente da empresa, Rui Fonseca.

As acções centrar-se-ão na dragagem do canal de acesso ao porto, que está em avançado estado de assoreamento, bem como dotá-lo de equipamentos de navegação adequado, para permitir a atracagem a qualquer hora do dia ou da noite de de navios de grande calado.

Falando na abertura da 10ª reunião do Conselho de directores da empresa, Rui Fonseca adiantou que a empresa vai adquirir um navio de dragagem, novos rebocadores e barcos dos pilotos, um projecto que tem o apoio financeiro da Dinamarca.

No decurso da reunião, Rui Fonseca informou que a empresa registou um lucro operacional de 387,8 mil milhões de meticais (cerca de 15,5 milhões de dólares) em 2005, embora tenha adiantado que as contas do ano passado estão ainda a ser auditadas.

O presidente da CFM informou ainda que em 2005 o tráfego ferroviário em Moçambique cresceu 6,6 por cento para 4,06 milhões de toneladas.

No decurso da reunião de directores, Rui Fonseca acusou as empresas que detêm as concessões de exploração do porto de Maputo e do caminho-de-ferro Nacala-Malawi de não respeitarem os contratos causando assim prejuízos à CFM.

O porto de Maputo é gerido por um consórcio liderado pela empresa britânica Mersey Docks and Harbour Co.

Nos termos do contrato, o consórcio devia pagar uma percentagem das receitas brutas mas a realidade, afirmou Rui Fonseca, “é que já nos devem 10 milhões de dólares”.

Relativamente ao caminho-de-ferro de Nacala, Rui Fonseca recordou ter a empresa sempre manifestado dúvidas quanto à capacidade do concessionário e afirmou que o deficiente funcionamento daquele corredor impede o crescimento económico da região Norte do país. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH