Chevron investe 250 milhões em unidade de processamento de gás em Cabinda

29 March 2006

Luanda, Angola, 29 Mar – A Cabinda Gulf Oil Company (CABGOC), da petrolífera norte-americana Chevron, vai investir 250 milhões de dólares numa unidade de processamento de resíduos gasosos e produção de gás natural liquefeito (GPL) no Bloco 0 do “offshore” de Cabinda, Angola, anunciou terça-feira a empresa.

De acordo com a Chicago Bridge & Iron Company (CB&I), responsável pela engenharia e construção, o complexo estará operacional no Verão de 2008, produzindo “gás natural para exportação e consumo local”.

Ao mesmo tempo, os gases residuais serão usados para alimentar três turbinas de geração de electricidade.

O projecto “vai ajudar a CABGOC a eliminar a queima de gases associados à exploração, e recuperar vapores de hidrocarbonetos do terminal de armazenamento de crude”, adianta.

De acordo com a CB&I, a engenharia e construção dos módulos do complexo será feita na sua sede em Houston, Texas, e a gestão das actividades de construção será entregue aos seus escritórios em Londres, Dubai e África do Sul.

O processo tradicional de queima destes gases será proibido em Angola e noutros países da região a partir de 2008, obrigando as empresas a armazenar, vender ou processar este sub-produto.

A CABGOC é responsável pela operação do Bloco 0, participado também pela Sonangol, Total e Eni.

Esta semana, o director-geral da Chevron em Angola, Jim Blackwell, afirmou que a petrolífera vai investir 11 mil milhões de dólares no país até 2008 a fim de aumentar a produção em cerca de 40 por cento.

A petrolífera norte-americana tem actualmente uma produção de 481 mil barris de petróleo por dia.

A Chicago Bridge & Iron Company é uma das grandes firmas mundiais de engenharia e construção civil, especializada em projectos “chave na mão” para empresas que produzem, processam, armazenam ou distribuem recursos naturais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH