Angola propõe criação de agência africana de transporte ferroviário

17 April 2006

Brazzaville, República do Congo, 17 Abr – Angola propôs sexta-feira em Brazzaville a criação de uma agência africana de transporte ferroviário e de um fundo para financiar a reabilitação e a construção de novas infra-estruturas de transportes.

A proposta foi feita à União Africana dos caminhos-de-ferro (UAC), pelo ministro dos Transportes, André Luís Brandão, ao analisar o projecto de relatório apresentado pelos técnicos do sector, durante a reunião dos ministros africanos responsáveis pelo Transporte Ferroviário, que teve lugar nos dias 13 e 14 de Abril, no Palácio do Parlamento de Brazzaville, República do Congo.

Durante a reunião de ministros, os participantes tomaram conhecimento da experiência de Angola em matéria de investimento no sector ferroviário.

Dados da comissão económica das Nações Unidas para África apontam uma rede ferroviária estimada em 89.390 quilómetros de linhas, para uma superfície de 30,2 milhões de quilómetros quadrados.

A densidade desta rede é de cerca de 2,96 quilómetros por mil quilómetros quadrados, enquanto a Europa conta cerca de 60 quilómetros por mil quilómetros quadrados.

A região austral do continente, da qual Angola faz parte, possui a rede mais vasta com cerca de 38 mil 513 quilómetros, seguido da África do norte com 19 mil 931, África oriental com 19 mil 293 e a África ocidental com 9 mil 717. A África central é a que possui a rede mais fraca, apenas com 2 mil 526.

Os ministros foram unânimes em reconhecer que os caminhos-de-ferro constituem o meio de transporte melhor adaptado para movimentação de grandes volumes a longas distâncias, sendo particularmente útil para o transporte de mercadorias de e para os países africanos sem acesso ao mar. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH