Empresa criada em Moçambique para captar investimento chinês

17 April 2006

Maputo, Moçambique, 17 Abr – A empresa Zamcorp, com capitais de Moçambique, de Macau e de Portugal, destinada à captação preferencial de investimentos chineses para o vale do Zambeze, foi criada sábado em Maputo.

A Zamcorp foi constituída com um capital de 500 mil dólares, detidos em 55 por cento pela Sogir, uma empresa pública de Moçambique, associada ao Gabinete do Plano do Zambeze.

O restante capital foi subscrito em 35 por cento pela Geocapital, dos empresários Stanley Ho, de Macau, e Jorge Ferro Ribeiro, de Portugal, e em 10 por cento pela Mozacapital, detida em maioria por um grupo de investidores privados moçambicanos.

A criação da Zamcorp, que terá sede na província de Tete, centro de Moçambique, será seguida pelo lançamento em breve da Zamcorp International, baseada em Hong Kong.

No próximo mês de Maio a Zamcorp vai promover a visita ao Vale do Zambeze de empresas chinesas, entre as quais a China Harbour, Banco Hang Seng, Sinopec e Banco Exim (Export-Import).

Estas iniciativas resultam do Fórum de Macau, pelo qual a República Popular da China intermedeia o relacionamento económico com os países de língua oficial portuguesa, afirmou na cerimónia de lançamento o empresário português Jorge Ferro Ribeiro.

O papel da China, como um dos mais importantes investidores em África e no Mundo, foi realçado nos discursos que se seguiram à escritura pública, presenciada pelo ministro moçambicano da Planificação e Desenvolvimento, Aiuba Cureneia, pelo presidente da Assembleia Geral da Geocapital, Almeida Santos, pelo embaixador português em Maputo, Freitas Ferraz, por Ambrose So, representante de Stanley Ho, e pelo responsável pelo GPZ, Sérgio Vieira. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH