Empresa chinesa de Hong Kong vai construir uma fábrica de embalagens no Brasil

18 April 2006

São Paulo, Brasil, 18 Abr – A empresa chinesa Roots Biopack, sedeada em Hong Kong, vai investir quatro milhões de dólares na construção de uma fábrica de embalagens este ano no Brasil, foi anunciado oficialmente pela empresa.

A unidade brasileira, a primeira do grupo chinês localizada no estrangeiro, vai produzir embalagens de papel a partir do bagaço da cana-de-açúcar, informou o presidente da companhia, Gerald Lau.

O executivo avançou ao jornal Valor Económico de sexta -feira que representantes da empresa chinesa vão visitar o Brasil em Julho para iniciar negociações com o objectivo de encontrar sócios locais e fornecedores de matéria-prima.

O custo do bagaço da cana-de-açúcar chega a ser 50 por cento menor em relação à matéria-prima tradicional no fabrico de embalagens de papelão.

Outra vantagem é que esse tipo de embalagem é biodegradável, em até seis meses após a sua utilização, o que atende à crescente preocupação com a preservação ambiental, disse Gerald Lau.

“Em dois anos, o mercado mundial de embalagens vai passar por uma grande mudança”, disse o presidente da Roots Biopack ao diário brasileiro.

Gerald Lau afirmou igualmente que o grupo chinês planeia construir no futuro unidades também no México, Malásia e Indonésia.

Na China, a empresa controla uma unidade com capacidade de produção de até duas mil toneladas de embalagens de papel por mês.

O grupo chinês está a investir 150 milhões de dólares em uma nova unidade na China com capacidade para produzir 200 mil toneladas por mês, que deverá iniciar a produção em 2009.

Embalagens de papel produzidas com o bagaço da cana-de-açúcar podem ser utilizadas para embalar frutos, carnes, comida rápida e calçado.

Fundado em 1995, o grupo Roots Biopack tem como clientes a fabricantes de ténis Mizumo, para além da rede norte-americana Mc Donald’s na Ásia e a rede francesa Carrefour na Europa.

A decisão de investir no Brasil é resultado da oferta no mercado brasileiro de bagaço de cana-de-açúcar, um dos excedentes da produção de álcool combustível.

Actualmente, o Brasil tem o maior programa mundial de substituição de petróleo por combustível, combustível renovável com menor emissão de carbono na atmosfera.

O programa foi responsável pela diminuição do consumo de cerca de 200 mil barris diários de petróleo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH