Monroe Minerals investe 2,7 milhões na exploração de diamantes na Cangandala, Angola

8 May 2006

Luanda, Angola, 08 Mai – A empresa canadiana Monroe Minerals anunciou que vai investir 2,7 milhões de dólares na primeira fase de exploração de diamantes da sua concessão da Cangandala, no centro de Angola.

De acordo com a empresa, a primeira fase vai centrar-se na avaliação na capacidade de produção de diamantes de aluvião, com operações no curso dos rios da zona, principalmente no Cuanza e no Luando, além de escavações nas planícies aluviais.

O programa de prospecção, apresentado em Toronto no final da semana passada, prevê mais duas fases, uma de avaliação da extensão dos depósitos e aprofundamento de informação geodésica, e a última, após a elaboração de um estudo de viabilidade técnica e financeira, de sondagem através de meios aéreos, para detectar depósitos de kimberlito, a rocha de onde é extraído o diamante.

Para Derek Moran, presidente da Monroe, Cangandala é “uma das mais importantes concessões de exploração de diamantes em Angola”, com “potencial de extracção de kimberlito e aluvial”, e “representa uma oportunidade para a descoberta e desenvolvimento de minas de diamantes de categoria mundial”.

As características dos rios na zona de concessão, nas províncias de Malanje e Cuanza Sul, “formam sítios ideiais de concentração de minerais pesados, incluindo diamantes”, refere a empresa canadiana.

A Monroe detém metade do capital social do consórcio responsável pela concessão, cabendo o restante, em partes iguais, à Endiama e à empresa local Mineral Star.

A empresa canadiana é responsável pela direcção técnica e pelo financiamento, e o seu benefício será de 40 por cento.

A área de concessão tem 3.000 quilómetros quadrados, incluindo 120 quilómetros do rio Cuanza. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH