Porto de Nacala, Moçambique, recebe certificação internacional e fica habilitado para receber navios de todas classes

10 May 2006

Maputo, Moçambique, 10 Mai – O porto de Nacala, no norte de Moçambique, vai passar a poder receber navios de todas as classes, depois de ter recebido certificação internacional de segurança e qualidade de instalações, revelou o director da infra-estrutura.

Fernando Couto, em declarações ao diário Notícias, adiantou que, para se habilitar à certificação, o porto, na província de Nampula, teve de fazer investimentos na ordem de cinco mil milhões de meticais, numa vedação electrificada em todo o perímetro portuário e no sistema de segurança de pessoas e veículos ao recinto do porto.

O certificado do Código Internacional de Segurança dos Navios e das Instalações Portuárias é válido até 2011, adiantou o mesmo responsável.

Para Couto, que é também administrador do Corredor do Desenvolvimento do Norte (CDN), a certificação é “um passo na credibilização internacional do porto, pois ele fica habilitado, através de normas internacionalmente reconhecidas, a receber qualquer tipo de navio, incluindo navios-tanque e de passageiros”.

Segundo o mesmo responsável, a certificação deverá permitir ainda uma redução nos custos dos seguros das instalações portuárias, um dos principais com que a empresa gestora se depara actualmente.

Couto adiantou ainda que funcionários do Banco Mundial, que apoiou o investimento nas instalações portuárias, estiveram no início deste mês de visita a Nacala, para fazer um balanço do processo de concessão da gestão privada do Porto e do Sistema Ferroviário do Norte, além de avaliar os resultados de exploração.

De acordo com Fernando Couto “importa fazer o balanço dos resultados dos diferentes processos de privatização e o Banco Mundial está a acompanhar o processo de concessão das infra-estruturas ferro-portuárias moçambicanas desde o início”.

As exportações a partir dos portos do Norte de Moçambique – Pemba e Mocímboa da Praia, na província de Cabo Delgado, e Nacala – ascenderam a cerca de 75 milhões de dólares até final do ano passado, o dobro do registado em igual período do ano anterior, segundo dados da Direcção da Indústria e Comércio da província de Cabo Delgado.

O valor das exportações cresceu de forma mais expressiva do que a quantidade dos bens expedidos, que subiu de 65 mil toneladas, para cerca de 76 mil toneladas no ano passado.

Os dois principais produtos de exportação foram as madeiras e algodão em fibra, à frente de milho e mapira, e minerais como a grafite. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH