Inflação em São Tomé e Príncipe já superou o previsto para todo o ano

12 May 2006

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 12 Mai – A inflação em São Tomé e Príncipe já superou 13 por cento, previsão para todo o ano de 2006, revelou a ministra das Finanças, Maria Tebus Torres.

A realização de eleições, afirmou a ministra ao diário Tela Non, fez com que “as pessoas não trabalhassem durante a campanha”, levando à “carência de alguns produtos”, e a que “o pouco que havia aumentasse de preço”.

A agravar esta situação, adiantou, no período eleitoral registou-se uma entrada e circulação anormal de dólares norte-americanos, usados nas campanhas dos diversos partidos.

“O Governo cessante acordou com o Fundo Monetário Internacional uma taxa de inflação de 13 por cento até ao fim do ano, no quadro do programa financeiro, e neste momento já estamos a mais de 13 por cento”, adiantou a vice-primeira ministra e ministra do Plano e Finanças.

A situação poderá agravar-se nos próximos meses, dado que estão previstas eleições autárquicas, regionais, e também as presidenciais, normalmente as mais disputadas.

Entretanto, adiantou a ministra, o governo recebeu da Empresa Nacional de Combustíveis (ENCO) uma proposta de aumento de preços, que qualifica de “drástica”.

Esta proposta será agora negociada com a ENCO e, assegurou a ministra, no sentido de a tornar “o mais suave possível para a população”.

Na quarta-feira, Tebus Torres afirmou que o perdão da dívida externa do arquipélago pelo Banco Mundial e FMI está em causa devido à gestão financeira “descuidada” do anterior executivo.

O perdão deveria ser concedido já no próximo mês, com a entrada de São Tomé na fase de conclusão do programa para países altamente endividados (HIPC), mas agora este objectivo “está 99 por cento comprometido”, disse. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH