Cuanza, de Angola, é segunda moeda africana mais valorizada no último ano e vai continuar a sê-lo, diz Standard Bank

16 May 2006

Joanesburgo, África do Sul, 16 Mai – O cuanza, de Angola, é a segunda moeda que mais valorizou no último ano e vai prosseguir esta tendência, graças às receitas do petróleo e a políticas de redução da inflação, afirma o banco sul-africano Standard no seu último relatório sobre o país.

Nos últimos doze meses, refere o relatório do Standard Bank Group, o cuanza valorizou 9,8 por cento face ao dólar, sendo apenas suplantado pelo kwacha da Zâmbia, que ganhou 35 por cento no mesmo período, e as previsões apontam para a continuação desta tendência.

“Enquanto as receitas de exportações de petróleo continuarem fortes, o Banco Nacional de Angola continuará a intervir no mercado cambial para manter a relativa estabilidade da moeda”, afirma no relatório Anita Last, a analista do Standard.

No final da semana passada, a moeda angolana valia perto de 0,0125 dólares, um valor recorde no mercado internacional.

O banco central angolano, refere o Standard, tem vindo a vender dólares e a comprar cuanzas, para impedir a subida do preço de produtos importados, principalmente de bens alimentares, que representam perto de 46 por cento do cabaz de preços do país.

Para este ano, o objectivo das autoridades é uma taxa de inflação de 10 por cento, menos 8,5 pontos percentuais do que o registado no ano passado.

Em 2004, a inflação média rondou os 43 por cento.

A economia angolana cresceu 15,7 por cento no ano passado, e este ano deverá, segundo a última previsão do Fundo Monetário Internacional, acelerar para 26 por cento, o ritmo de crescimento mais elevado do continente africano. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH