Antigo ministro nega que China venha a pagar dívida de Moçambique a Portugal

5 June 2006

Maputo, Moçambique, 05 Jun – O director do Gabinete do Vale do Zambeze, Sérgio Vieira, desmentiu sábado em Maputo que a China vá pagar a dívida de Moçambique a Portugal na Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB).

Em declarações a jornalistas, Sérgio Vieira, que coordena projectos de desenvolvimento na região, desmentiu informações veiculadas pela imprensa moçambicana de que os 785 milhões de euros que Portugal exige para ceder a Moçambique 67 dos 82 por cento que detém na Hidroeléctrica de Cahora Bassa serão pagos pelo China Exim Bank.

“Não há nenhum envolvimento do China Exim Bank na HCB, além dos financiamentos já anunciados para a construção de outras barragens”, sublinhou Sérgio Vieira.

Vieira referia-se a um acordo de financiamento no valor de 1,9 mil milhões de euros, acordado em finais de Abril último, entre o China Exim Bank e o governo moçambicano, para a construção das barragens de Mpanda Nkua, no Zambeze, a sul de Cahora Bassa, de Bué Maria, na província de Sofala, e de Moamba Major, junto da capital, Maputo.

No âmbito de um memorando de entendimento assinado em Outubro do ano passado, o Governo português aceitou reduzir a sua participação na HCB dos actuais 82 para 15 por cento do capital, elevando Moçambique a sua quota dos actuais 12 para 85 por cento, contra o pagamento de 785 milhões de euros.

Portugal reclama a referida quantia como compensação pela manutenção da barragem durante o período em que esta esteve com baixo rendimento devido à guerra civil de 16 anos em Moçambique, que terminou com o Acordo Geral de Paz de 1992.

Face à incapacidade financeira do Governo moçambicano, cujo orçamento é alimentado em cerca de 50 por cento pela comunidade internacional, crescem as especulações sobre onde irá Maputo buscar a verba acordada com Lisboa, em Outubro passado. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH