Autocarros chineses vão reforçar transportes públicos em cidades de Moçambique

19 June 2006

Maputo, Moçambique, 19 Jun – Trinta e cinco autocarros produzidos na China, de um lote de 55 veículos, chegaram ao porto de Maputo, capital de Moçambique, para reforçar a frota de transportes públicos nas sete principais cidades moçambicanas, foi hoje anunciado.

Após o seu desalfandegamento, os autocarros chineses irão circular nas cidades de Maputo, Inhambane, Beira, Quelimane, Tete, Nampula e Pemba, ao serviço das respectivas companhias de transportes públicos.

Os autocarros são da marca Yutong, produzidos pela Zhengzhou Yutong Bus Co. Ltd localizada na província chinesa de Henan, e foram importados para Moçambique pela empresa Técnica Industrial, do grupo João Ferreira dos Santos, um dos mais importantes de Moçambique.

“Foi a primeira importação que fizemos de autocarros da China e tivemos em conta os factores preço e qualidade”, disse ao Macauhub uma fonte da Técnica Industrial.

A mesma fonte adiantou que os restantes 20 autocarros chineses deverão desembarcar em Maputo ainda durante este ano e entre eles estão quatro veículos adaptados para circularem a gás, que darão início a um projecto-piloto na capital moçambicana.

A Yutong Automobile Co Ltd exportou em 2005 mais de 2.400 autocarros avaliados em 140 milhões de dólares.

Em 2004 a companhia, que é a maior produtora de autocarros na China, vendeu cinco milhões de dólares de viaturas para Cuba, Irão, Chile, Egipto e Bangladesh.

O reforço dos transportes públicos segue-se ao agravamento nos últimos nove meses dos preços de transportes urbanos pelos operadores privados, sobretudo em Maputo, o que levou o governo a investir nos transportadores públicos, tendo importado da vizinha África do Sul um lote inicial de 10 autocarros de fabrico alemão, que já circulam em Maputo.

A opção por uma maior encomenda à indústria automóvel chinesa foi anunciada pela primeira-ministra moçambicana, Luísa Diogo, durante uma visita oficial a Pequim em Setembro de 2005 e justificada por vantagens relativamente a outros fornecedores.

“Há claramente mais vantagens em importar autocarros da China, pois através da Europa e da América, o preço fica duas ou três vezes mais caro”, disse, então, Luísa Diogo

“Não faz sentido comprar a terceiros, o que podemos fazê-lo directamente a um preço muito mais baixo”, acrescentou a primeira-ministra de Moçambique.

A circulação, em breve, de autocarros chineses em Moçambique segue-se à primeira importação de camiões igualmente produzidos na China por uma empresa moçambicana com sede em Maputo.

A empresa, Shanghai Comercial, que já vai na terceira encomenda de camiões JAC, produzidos na China, em Hefei pela Anhui Jianghuai Automobile Co., Ltd. anunciou também para breve a importação de mini-bus e autocarros de turismo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH