Portugal Telecom negoceia com governo angolano saída da operadora Unitel

7 July 2006

Lisboa, Portugal, 07 Jul – Os accionistas da Unitel querem que a Portugal Telecom (PT) lhes venda a participação de 25 por cento que detém na operadora móvel, a maior de Angola, considerada o “eixo” da expansão da empresa portuguesa em África.

De acordo com o Jornal de Negócios, os angolanos rejeitaram recentemente que a PT aumentasse para 50 por cento a sua participação na Unitel, como estava previsto no acordo entre as empresas e, pelo contrário, manifestaram a intenção de negociar a saída da operadora portuguesa.

Contactada, a Portugal Telecom escucou-se a comentar o assunto.

A Unitel foi considerada ” um vector fundamental para a aposta internacional do grupo PT” pelo ex-administrador para os negócios internacionais, Carlos Vasconcellos Cruz, que recentemente abandonou a operadora.

O Jornal de Negócios adianta também que o projecto de criação de um centro operacional da PT em Angola deverá agora ser lançado na África do Sul.

o caso da Unitel é o segundo este ano de uma empresa portuguesa a negociar a sua saída de uma participada angolana por iniciativa do governo, depois da Cimpor, que vendeu recentemente a venda da sua posição na Nova Cimangola, maior cimenteira do país.

A Unitel, que recentemente ultrapssou a Angola Telecom como maior operadora móvel do país, foi constituída em 2000, através de uma parceria entre a PT e investidores angolanos.

As duas empresas estão actualmente unidas em consórcios, liderados pela PT, com o objectivo de se expandirem nos mercados regionais, em particular na República Democrática do Congo e Namíbia.

Em 2004, últimos dados disponíveis, as vendas da Unitel mais do que duplicaram, para 245 milhões de dólares, beneficiando de um crescimento exponencial da sua base de clientes.

Actualmente, a Unitel oferece serviços de voz e dados a cerca de 1,4 milhões de clientes, o triplo do registado em 2004. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH