Exportações industriais de Moçambique vão crescer 20 milhões de dólares ao ano – ONU

11 July 2006

Maputo, Moçambique, 11 Jul – As exportações de Moçambique de produtos manufacturados deverão ter um crescimento líquido anual superior a 20 milhões de dólares nos próximos três anos, de acordo com um relatório das Nações Unidas, agora divulgado.

No mesmo período irá manter-se a tendência das exportações moçambicanas terem como destino principal o mercado da África do Sul seguido dos do Zimbabwe e do Malawi, de acordo com o documento Africa Foreign Investor Survey 2005, produzido pela Organização de Desenvolvimento Industrial das Nações Unidas (UNIDO).

O inquérito decorreu em 15 países da África subsahariana, integrados nas três grandes correntes linguísticas utilizadas nessa parte do continente – inglês, francês e português – e teve como objectivo analisar o impacto do investimento estrangeiro nas respectivas economias.

Dados alcançados pelo inquérito concluíram que o grosso das exportações moçambicanas (76,9 por cento) se destina a mercados regionais, enquanto 7,5 por cento é orientado para a Europa e apenas 0,9 por cento para os Estados Unidos.

A estabilidade económica foi um dos factores relevantes citados pelos investidores estrangeiros em Moçambique ouvidos pelo inquérito, enquanto o facto do país beneficiar de iniciativas de comércio bilateral, como AGOA (African Growth and Opportunity Act) ou EBA (Everything But Arms), foi tido como pouco importante pelos empresários.

Moçambique foi penalizado nas categorias legislação, especialização dos seus trabalhadores, presença de clientes-chave e existência de matéria-prima, nas quais obteve as piores classificações entre os 15 países onde decorreu o inquérito.

Mas apesar desta situação, aumentou de 72 para 90 por cento, entre 2003 e 2005, o número de investidores estrangeiros em Moçambique que dizem que os seus negócios estão de acordo, ou acima ou muito acima das suas expectativas.

O inquérito, que abrangeu mais de 1200 empresas nos 15 países, concluiu que os empresários sul-africanos assumem as mais altas médias de investimento em cada um dos mercados, são os que investem mais em formação profissional e os que pagam os mais elevados salários.

E também são os que se mostram mais satisfeitos com a evolução dos seus investimentos face às expectativas que neles depositaram.

Dados do Instituto Nacional de Estatística de Moçambique referem que o país aumentou em 36 por cento as suas exportações no primeiro trimestre deste ano, devido, sobretudo ao aumento das vendas de alumínio pesado produzido pela Mozal nos arredores de Maputo.

Nesse período, as exportações ascenderam a 534,6 milhões de dólares, contra 393,5 milhões de dólares no período homólogo de 2005.

A lagosta foi o principal produto exportado nos três primeiros meses do ano (166 milhões de dólares), seguida da venda de energia (106 milhões de dólares, menos 18 por cento do que no mesmo período de 2005). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH