Guiné Equatorial e Maurícia pediram estatuto de observador associado da CPLP

14 July 2006

Bissau, Guiné-Bissau, 14 Jul – A Guiné Equatorial e a Maurícia, ilha situada no Oceano Índico defronte a Madagáscar, pediram oficialmente o estatuto de observadores associados da CPLP, revelou quinta-feira em Bissau o secretário-executivo da organização lusófona.

Numa conferência de imprensa sobre os resultados da XIII Reunião dos Pontos Focais de Cooperação da CPLP, que decorreu durante dois dias, Luís Fonseca adiantou que há outros países e organizações que apresentaram o mesmo pedido, questão que será debatida na VI Cimeira de Chefes de Estado e de Governo, a realizar segunda-feira.

“Posso adiantar que há um pedido para a obtenção do estatuto de observador associado da Guiné Equatorial e de Maurício, mas a decisão só será tomada na cimeira de chefes de Estado e de Governo”, afirmou Luís Fonseca, que não adiantou os nomes de “outros países e organizações” que apresentaram idêntica solicitação.

O alargamento da organização lusófona a outros Estados não lusófonos e a várias organizações internacionais encaixa na estratégia que a VI Cimeira da CPLP pretende desenvolver, nomeadamente no reforço das competências do seu secretário-executivo, sobretudo no pedido de financiamento de projectos para os países da organização.

Isso mesmo foi ressalvado na conferência de imprensa por João Soares da Gama, “ponto focal de cooperação” da Guiné-Bissau, que adiantou que essa estratégia está inserida num projecto mais vasto, o Programa Indicativo Regional dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PIR/PALOP).

Porém, acrescentou o diplomata guineense, o PIR/PALOP terá de ser ainda devidamente calendarizado para uma duração de dois anos e enquadra-se, por sua vez, na nova estratégia de cooperação geral que os “oito” pretendem implementar no futuro.

O documento foi elaborado pelo secretariado executivo da CPLP, tendo em conta os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (redução para metade da pobreza no mundo até 2015) e a necessidade de se proceder a uma definição plurianual de programas.

Todas as recomendações e propostas de resolução seguem agora para a 94ª Reunião Ordinária do Comité de Concertação Permanente, a realizar sábado em Bissau, encontro que antecederá a XI Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da organização, que decorrerá domingo e segunda-feira.

Todos os documentos aprovados no Conselho de Ministros serão então remetidos para a VI Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, que contará com a presença de delegações de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH