Eni quer explorar petróleo em Timor com portuguesa Galp

18 July 2006

Lisboa, Portugal, 18 Jul – A petrolífera italiana Eni quer que a portuguesa Galp, da qual detém um terço do capital, entre no consórcio que vai explorar petróleo no Mar de Timor, com uma participação entre 10 e 20 por cento.

Em entrevista ao Diário Económico, o presidente da Eni, Paolo Scaroni, afirmou que a proposta de entrada no consórcio, que vai explorar dois blocos, será feita em breve à Galp, determinando-se depois a dimensão da participação.

O gestor italiano refere que a entrada da Galp, que se candidatou em parceria com a brasileira Petrobras a dois blocos leiloados, mas foi derrotada no concurso, é uma forma de diminuir o risco associado à fase de pesquisa e exploração.

Só para o estudo sísmico dos dois blocos, a empresa portuguesa teria de investir cerca de 40 milhões de dólares, adiantou o mesmo responsável.

Scaroni refere ainda que o “convite” não é extensível quer à Petrobras, que detinha 35 por cento do consórcio derrotado, quer à malaia Petronas, que liderava com 40 por cento.

A Eni ganhou, em Maio, o concurso para os cinco blocos no Mar de Timor, localizados e águas profundas.

Pelo Bloco C, disputado pela Galp, a Eni pagou 4,5 milhões de dólares, 4,5 vezes mais do que a petrolífera portuguesa.

Os contratos de exploração foram assinados em Junho com o governo timorense, que irá receber parte das receitas de exploração. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH