Quatro “joint-ventures” de capital chinês querem construir túnel entre Península de Macau e ilha da Taipa

18 July 2006

Macau, China, 17 Jul – Quatro “joint-ventures”, de capitais chineses, apresentaram propostas para a construção do túnel entre a península de Macau e a ilha da Taipa cujas obras deverão começar em Outubro e terminar em 2009, anunciou segunda-feira o governo.

As quatro propostas variam entre 1.580 milhões de patacas e 2.336 milhões de patacas com prazos de construção entre os 930 e os 958 dias.

Apresentaram-se a concurso a China Communications Construction Group/Design Institute of Guangzhou Metro Corporation/China Ocean Engineering Corporation associadas em “joint-venture” e a CRBC-Shanghai Salvage Joint-Venture.

A CSF Tunnel Joint-Venture e a China Railway Enginnering Corporation/China Railway Tunnel Survey and Design Institute/ San Meng Fai enginering and Construction Company Limited Joint Venture candidataram-se igualmente à construção do túnel que terá três faixas de rodagem em cada sentido.

Com a conclusão do túnel, que terá 1,7 quilómetros de comprimento, passam a existir quatro ligações entre a península de Macau e a Taipa sendo três delas pontes construídas respectivamente nos anos 70, 90 e mais recentemente após a transferência da administração portuguesa para a China.

O jornal Macau Post Daily escreve hoje que a construção do túnel, de acordo com fontes oficiais, destina-se a melhorar o futuro fluxo de viaturas que provenientes da ilha de Hengqin, frente a Macau, entrem na ilha da Taipa em direcção à península de Macau.

O jornal de língua inglesa lembra ainda que a futura auto-estrada entre Pequim e Zhuhai vai ser prolongada até Macau através da zona de Hengqin.

As medidas agora tomadas pelo governo pretendem, segundo o jornal, melhorar as infra-estruturas rodoviárias de Macau dando assim resposta ao plano de uma cada vez maior integração na região do Grande Delta do rio das Pérolas.

O Grande Delta do Rio das Pérolas (GDRP), a mais extensa aliança regional da China, é uma estrutura económica mutuamente benéfica que vai fazer com que a região se catapulte para os lugares cimeiros do acelerado desenvolvimento da China .

O GDRP é também conhecido por 9+2, englobando Fujian, Jiangxi, Hunan, Guangdong, Guangxi, Hainan, Sichuan, Guizhou e Yunnan e as regiões administrativas especiais de Hongkong e Macau. As oito províncias a a região autónoma de Guangxi representam um quinto do território nacional e um terço da população e do produto interno bruto da China. A sua populaçao é semelhante à dos países da União Europeia.

O Governo de Macau anunciou, entretanto, que vai investir 100 milhões de patacas na construção de 15 hectares de aterros na marginal dos Novos Aterros do Porto Exterior para alargar vias de circulação numa zona que será o futuro centro de diversões na península de Macau.

Os aterros, que já estão a ser construídos e deverão estar concluídos em Outubro deste ano, vão ter lagos artificiais, zonas ajardinadas e serão fundamentais para o alargamento das vias de circulação, bem como para a abertura dos acessos ao túnel entre a península de Macau e a ilha da Taipa, cuja construção tem início em Outubro e se prolonga por três anos.

O coordenador do Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, Castanheira Lourenço, adiantou quer serão ainda construídos nos aterros os edifícios dos Tribunais de Macau e outros serviços públicos, não especificados.

O alargamento das vias de circulação junto ao mar na zona dos Novos Aterros do Porto Exterior, onde estão a ser construídos vários empreendimentos ligados ao sector do jogo e lazer, está relacionado com o reordenamento em toda a zona de casinos do centro da cidade, com a reformulação da Rotunda Ferreira do Amaral em frente do hotel
Lisboa.

Com os hotéis-casinos da Wynn Resorts e da Galaxy a abrirem portas no final deste ano e com as obras em curso do empreendimento do consórcio formado pela MGM e Pansy Ho, filha de Stanley Ho, e o novo complexo de hoteis e casinos Grand Lisboa, o governo quer preparar o terreno para a grande afluência de pessoas àquela zona da cidade com o reordenamento e alargamento de vias e abertura de novas alternativas.

Actualmente existem já na zona vários outros casinos entre outros o Lisboa, o Landmark, o Waldo, Mandarin e o President.

Mais de 8,8 milhões de visitantes deslocaram-se a Macau nos primeiros cinco meses de 2006, o que representa um aumento de 17,8 por cento em relação a igual período de 2005.

Em 2005, Macau recebeu mais de 18 milhões de visitantes, o que representa mais 12 por cento do que em 2004.

Com uma área total de 28,2 quilómetros quadrados, Macau e as ilhas da Taipa e Coloane possuem uma população de 488 mil habitantes, o que traduz uma das maiores densidades populacionais do mundo com 17.310 pessoas por quilómetro quadrado. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH