Consórcio Sinopec/Gás Natural de Macau investe 10 mil milhões de patacas em terminal de gás

27 July 2006

Macau, China, 27 Jul (Lusa) – O consórcio constituído pela China Petroleum & Chemical Corporation e Companhia de Gás Natural de Macau, Limitada (Sinopec/Gás Natural de Macau) vai investir 10 mil milhões de patacas na construção de um terminal de recepção de gás natural liquefeito (LNG), foi hoje anunciado em Macau.

Estes números constam da proposta que o consórcio entregou ao concurso público para a importação de gás natural, aberto pelo governo da RAEM em finais do ano passado e cujo resultado oficial é agora divulgado.

A concessão, por 15 anos, obriga a um investimento de 10 mil milhões de patacas e à construção, numa ilha próxima de Macau, de um terminal de recepção, que inclui um terminal marítimo para os navios de LNG, um sistema de re-gasificação, gasodutos para o transporte de gás, equipamentos para o armazenamento e reserva, para além de outros, sendo a capacidade da primeira fase de dois milhões de toneladas (2MTPA) de LNG.

Até à conclusão da primeira fase do empreendimento, que se espera venha a demorar três anos, o consórcio obriga-se a garantir o fornecimento de gás natural a Macau através de uma fonte no continente a fim de cumprir o plano de fornecimento de gás natural a Macau em 2007.

Ao anunciar a decisão, o governo considera que a proposta vencedora ” poderá trazer a Macau maiores benefícios económicos e sociais, aumentar o investimento, criar um maior número de postos de trabalho, receitas fiscais e directamente impulsionar o desenvolvimento sócio-económico da região”.

“Simultaneamente, o programa do terminal de recepção de gás natural liquefeito poderá servir como base fundamental para o desenvolvimento gradual em Macau da indústria de gás natural a nível regional, podendo criar oportunidades de desenvolvimento para outros sectores, e apoiar a diversificção da economia local”, consiera ainda o governo.

A construção do terminal de recepção de LNG vai ao encontro do 11º plano quinquenal de cooperação do Delta do Rio das Pérolas no âmbito da energia, especialmente na cooperação entre Cantão, Hong Kong e Macau na importação de LNG, ajudando a aliviar a situação de tensão que a região enfrenta em relação ao fornecimento de energia.

A nota oficial considera ainda que “o gás natural é uma energia mais limpa, podendo diminuir significativamente as emissões de gases poluentes, e reduzir o impacto sobre o ambiente natural e elevar a qualidade de vida da população”.

Participou ainda no concurso a Companhia de Gás Nam Kwong (Macau), SA. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH