Moçambique, Malawi e Zâmbia vão recuperar linha férrea até Nacala

11 August 2006

Maputo, Moçambique, 11 Ago – Moçambique, Malawi e a Zâmbia vão proceder à reconstrução da linha férrea integrada no Corredor de Desenvolvimento de Nacala, anunciou em Maputo o secretário executivo da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), o moçambicano Tomaz Salomão.

Citado pelo Notícias, de Maputo, Slomão acrescentou que a reabilitação da linha férrea ocorre numa altura em que o governo zambiano se prepara para ligar o troço ferroviário Mchinji-Chipata a Nacala, de capital importância para as transacções comerciais da Zâmbia.

A linha férrea Mchinji-Chipata, na Zâmbia Oriental, é a principal ligação dos transportes ao longo do corredor, sobretudo entre o centro e Sul do Malawi e Norte de Moçambique ao Porto de Nacala, um dos principais da África Austral.

Os planos para reparar o troço estavam sobre a mesa em 2000, quando os três governos começaram a procurar fundos junto de investidores e de agências de desenvolvimento, de modo a voltar a recuperar aquele troço de linha férrea.

Os trabalhos estão a ser financiados através de um empréstimo de 29,6 milhões de dólares assegurado aos três países pela Corporação Privada de Investimentos Ultramarino, uma agência de desenvolvimento dos Estados Unidos da América e a construção do troço para a ligação Mchinji-Chipata será feita ao abrigo de um memorando de entendimento assinado recentemente entre a Zâmbia e a Edlow Resources.

Historicamente, os portos de Nacala, no norte, e Beira, no centro de Mocambique, eram os mais próximos para o Malawi e a Zâmbia e a linha férrea foi desenvolvida como uma concessão do Porto de Nacala a Nampula durante os anos 70.

Posteriormente, a ferrovia foi estendida à província do Niassa, com o objectivo de servir as ricas áreas agrícolas, bem como o Malawi, que primeiramente era abastecido através da linha férrea de Sena.

Em virtude de uma rota mais curta para o mar apresentada pela linha férrea de Nacala, o tráfego do Malawi começou a deslocar-se da linha de Sena para a de Nacala.

A rota de Nacala foi interrompida em 1984, após ter sido destruída pela Renamo durante o conflito armado, que mudou significativamente os fundamentos da situação dos transportes em Moçambique.

Com efeito, a Zâmbia e o Malawi deixaram de usar os caminhos de ferro e passaram a utilizar o transporte rodoviário, só que com custos elevados devido às distâncias que aumentaram de forma substancial, pois os produtos da Zâmbia passaram a utilizar os portos da África do Sul e os do Malawi os da Tanzânia. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH