FMI defende que Guiné-Bissau precisa de uma taxa de crescimento económico de 7 ou 8 por cento

23 August 2006

Bissau, Guiné-Bissau, 23 Ago – O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou que a Guiné-Bissau precisa de uma taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de sete ou oito por cento para conseguir relançar a economia do país, informou a agência noticiosa PanaPress.

De acordo com a agência, o administrador do FMI Damian Ondo Manhe, que falava no final de um encontro com o chefe de Estado da Guiné-Bissau, João Bernardo “Nino” Vieira, frisou que a actual taxa de crescimento da economia, que se situa entre 3,2 e 4,5 por cento, é insuficiente para combater a pobreza e favorecer a reconstrução do país no pós-guerra.

Damian Manhe defendeu ainda que a Guiné-Bissau deverá apostar na mobilização de capitais através de investimentos externos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH