Governo de Cabo Verde quer alienar participação em empresa de combustíveis

24 August 2006

Cidade da Praia, Cabo Verde, 24 Ago – O governo cabo- verdiano deverá alienar, até Novembro, as cerca de 300 mil acções que o Estado detém na Empresa Nacional de Combustíveis (Enacol) e vender a empresa de medicamentos (Emprofac), revelou quarta-feira fonte da Unidade de Coordenação de Projectos.

Rui Santos, coordenador da organização que cuida da alienação das participações do estado, afirmou que existe interesse por parte das duas empresas accionistas da ENACOL em reforçar as respectivas posições na companhia.

A ENACOL tem como accionistas a empresa portuguesa Galp e a angolana Sonangol (32,5 por cento cada), o Estado de Cabo Verde (29,5 por cento), os trabalhadores (3,6 por cento) e o público em geral (1,9 por cento).

O cenário provável é que “parte destas acções sejam negociadas directamente com a Galp e a Sonangol e a outra parte deverá ser colocada na bolsa de valores”, explicou Rui Santos.

Para além da Enacol, o governo irá também vender, até Novembro, a empresa Emprofac, empresa pública que detém o monopólio da comercialização de medicamentos em Cabo Verde.

“A estratégia passa ainda pela alienação das acções do Estado por concurso púbico, ou seja, colocar parte das acções na Bolsa e procurar parcerias estratégicas para alienação dos restantes acções”, referiu, adiantando que a liberalização do sector farmacêutico deverá ser feita de forma faseada e a médio prazo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH