Portugal inaugurou Consulado-Geral em Xangai vocacionado para a diplomacia económica

7 September 2006

Xangai, China, 07 Set – Portugal inaugurou quarta-feira em Xangai um consulado-geral, a primeira representação diplomática portuguesa criada a pensar na diplomacia económica, de acordo com a apresentação feita pelo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, António Braga.

“O consulado-geral de Portugal em Xangai é a primeira estrutura diplomática portuguesa criada no quadro da diplomacia económica. É sobretudo uma porta e uma oportunidade para que o tecido empresarial português e chinês possam desenvolver parcerias e negócios”, afirmou o secretário de Estado.

António Braga falava à agência noticiosa portuguesa Lusa à margem da cerimónia de inauguração do consulado, onde estiveram presentes o vice-presidente da Câmara de Xangai e representantes diplomáticos acreditados naquela cidade de cerca de 14 milhões de habitantes.

O secretário de estado destacou ainda que o Consulado-Geral de Portugal em Xangai deverá ter um papel de identificação e oportunidades de cooperação entre empresas chinesas e portuguesas nos mercados africano e latino-americano.

O vice-presidente da Câmara de Xangai, Zhou Taitong, em discurso na cerimónia de inauguração, considerou que a inauguração oficial do consulado, a funcionar já desde Março, reflecte “a forma sem incidentes” que, disse, distingue as relações de Portugal com a China desde que os dois países iniciaram relações diplomáticas bilaterais em 1979.

“O Consulado-Geral de Portugal em Xangai abre no momento em que as relações entre Portugal e a China estão no seu melhor ponto e marca a abertura de uma nova época nessa relação”, afirmou Zhou.

Com Xangai, Portugal passa a contar com 123 consulados-gerais em todo o mundo. A nova representação portuguesa na China tem como áreas de jurisdição o município autónomo de Xangai e as províncias orientais chinesas de Zhejiang, Anhui, Jiangsu e Jiangxi, grandes regiões de origem de chineses que visitam Portugal.

Xangai tem uma classe média entre três milhões e meio e quatro milhões de pessoas que podem consumir bens importados, de acordo com Wu Bin, Director para a China da Market Access, uma consultora de internacionalização de empresas portuguesas.

Xangai teve um dos mais elevados Produtos Internos Brutos da China, de 8829 mil milhões de yuan em 2005, ano em que a economia da cidade cresceu 11,1 por cento.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística de Portugal, nos dez primeiros meses de 2005, as empresas portuguesas venderam para a China produtos no valor de 150 milhões de euros e importaram daquele país produtos no valor de 525 milhões de euros. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH