Indústria de base brasileira investe para dar resposta à procura chinesa

12 September 2006

São Paulo, Brasil, 12 Set – A procura crescente por parte das empresas chinesas está a “aquecer” a indústria de base do Brasil que recebe um fluxo cada vez maior de investimento, afirma o jornal Folha de São Paulo.

A Folha adianta na sua edição de segunda-feira que apenas no primeiro semestre do ano os sectores da química, siderurgia, mineração e papel e celulose obtiveram investimento para 15 novos projectos no valor conjunto de quase 10 mil milhões de reais (cerca de 4,5 mil milhões de dólares).

Os industriais estão optimistas, tanto mais que os preços estão a aumentar nos mercados internacionais, mas há preocupações uma vez que, como afirma um responsável da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), o problema é que ninguém sabe qual será a procura futura por parte da China.

Ainda assim, a estratégia da siderúrgica, de acordo com o jornal, é manter o equilíbrio entre oferta e a procura e, se no futuro os preços caírem, não elevar muito a capacidade de produção.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI), maior associação industrial do Brasil, avalia como excelente o impulso que a China provoca sobre a indústria de base brasileira.

“A China tem sido fonte de oportunidades sendo preciso que os industriais tenham apoio do governo e do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social e que saibam aproveitar o momento”, disse à Macauhub a Coordenadora de Negociações Internacionais da CNI, Soraya Saavedra Rosar.

Soraya Rosar acrescentou que o avanço da indústria de base mostra que o Brasil está a diversificar a sua pauta de exportações, que costumava concentrar-se em produtos de menor valor acrescentado. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH