Brasileira Vale do Rio Doce decide investimento em Moçambique até ao final do ano

14 September 2006

São Paulo, Brasil, 14 Set – A brasileira Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) decidirá até Dezembro se vai investir mil milhões de dólares na exploração de carvão em Moatize, Moçambique, afirmou quarta-feira fonte da empresa à Macauhub em São Paulo.

Os engenheiros da companhia vão concluir até ao final do ano o estudo de viabilidade do empreendimento de Moatize, considerada a maior região carbonífera não-explorada do mundo.

A CVRD venceu, em Novembro de 2004, um concurso internacional para a exploração das minas de Moatize, com uma oferta de 122,8 milhões de dólares, feita em parceria com a produtora de carvão norte-americana American Metals and Coal International, que entrou com 5 por cento do capital.

Mesmo vencedora do concurso, a CVRD afirma não ter tomado a decisão final.

A mineradora brasileira afirmou à Macauhub, através da porta-voz Fátima Cristina, que o investimento de mil milhões de dólares, se chegar a ser efectuado, compreenderá o pagamento da concessão, o desenvolvimento da mina, a construção de um terminal para carregamento de navios e projetos na área social.

Fátima Cristina disse ainda que a empresa não vai se pronunciar sobre projectos de infra-estruturas em transportes e outros relacionados a Moatize enquanto o estudo de viabilidade comercial, em curso desde Janeiro de 2005, não estiver concluído.

Para transportar o carvão para a costa, a empresa tem duas possibilidades: a linha férrea de Moatize que termina no porto de Nacala, passando pelo Malawi, e a linha férrea de Sena, que vai de Moatize ao porto de Beira, encontrando-se ambas sob o regime de concessão a empresas privadas.

O único projeto da CVRD confirmado na região de Moatize são programas sociais, que terão um investimento total de 6,4 milhões de dólares e deverão ser postos em execução até ao final do ano, coincidindo com a divulgação da decisão da companhia. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH