Moçambique vai ter banco para apoio à agricultura

21 September 2006

Maputo, Moçambique, 21 Set – A criação em Moçambique de um banco especializado no apoio à agricultura deu mais um passo na quarta-feira com a atribuição pelo governo dos Países Baixos de 1 milhão de euros ao novo banco ainda por nomear.

O embaixador Lidi Remmelzvaal assinou o memorando de entendimento com os dois principais accionistas do novo banco – a moçambicana Sociedade de Gestão e Financiamento para a Promoção da Pequena e Media Empresas (Gapi) e o seu parceiro estratégico, o holandês Rabobank.

No decurso da cerimónia foi ainda criada a comissão de acompanhamento do novo banco, que compreende representantes dos dois governos – Moçambique e Países Baixos – do Gapi e Rabobank e da Novib, um dos principais organismos holandeses de apoio ao desenvolvimento.

A criação deste banco rural deriva de negociações prolongadas, iniciadas em 2002.

De acordo com António Souto, director executivo da Gapi, a ideia era criar um banco apenas para as províncias do Norte do país onde praticamente não existia banca comercial.

“Mas devido à reacção positiva tanto do governo de Moçambique como dos nossos parceiros, decidimos avançar para um projecto mais ambicioso de âmbito nacional”, disse Souto.

Alguns promenores do novo banco foram decididos numa reunião em Oslo em finais de Agosto, nomeadamente que haverá quatro accionistas – Rabobank com 30,7 por cento, Gapi com 29,3 por cento e o banco de desenvolvimento alemão KfW e o Norfund da Noruega com 20 por cento cada.

Mas a intenção é vender as acções a investidores moçambicanos esperando Souto que dentro de 10 anos os moçambicanos sejam os principais accionistas do banco.

O capital inicial será de 7 milhões de dólares a ser mais tarde aumentado para 10 milhões.

Souto afirmou esperar que o banco seja lançado formalmente em meados de 2007 e que tenha implantação nacional cinco anos depois. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH