Volume de negócios do sector informal moçambicano ascende a 2,6 mil milhões de meticais

22 September 2006

Maputo, Moçambique, 22 Set – O sector informal da economia de Moçambique movimenta anualmente 2,6 mil milhões de meticais (103,7 milhões de dólares) e emprega três quartos da população, revela um estudo do Instituto Nacional de Estatística do país.

O Inquérito ao Sector Informal, recentemente apresentado em Maputo, indica que cerca de metade do volume de negócios (1,27 mil milhões de meticais) é realizado no Sul do país, sendo o restante repartido entre as províncias do Norte (755,1 milhões) e centro (570,8 milhões).

A esmagadora maioria, 91 por cento, dos trabalhadores do sector informal dedica-se à agricultura, 5,1 por cento ao comércio e turismo e os restantes trabalham na construção ou outros serviços.

Na agricultura informal predominam os trabalhadores rurais (84 por cento), enquanto que na construção e no comércio e turismo a maioria são urbanos, respectivamente 73 por cento e 78 por cento.

Entre os trabalhadores informais, 26 por cento tem entre 25 e 34 anos, 24 por cento entre 15 e 24, e na classe dos 35 aos 44 anos está 18 por cento do total.

De acordo com as estimativas do INE, dos mais de 360 mil trabalhadores informais existentes no Sul do país, 241 mil são proprietários e 124 mil empregados, sendo a proporção destes últimos bastante superior à registada no Norte e no centro, onde 127 mil pessoas e 184 mil pessoas, respectivamente, trabalham fora do sistema legal.

O salário médio no comércio e turismo é o mais elevado, principalmente no norte (22,8 meticais à hora), enquanto que na indústria e construção é no Sul que se ganham os melhores salários (17,7 meticais à hora). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH