Governo da Guiné-Bissau reúne-se com doadores para preparar mesa-redonda de Genebra

5 October 2006

Bissau, Guiné-Bissau, 05 Out – O governo da Guiné-Bissau reúne-se hoje e sexta-feira com os representantes da comunidade internacional acreditados no país, no âmbito do “Fórum de Bissau”, para preparar a mesa-redonda com os doadores prevista para Novembro, na Suíça.

Abduramane Turé, do ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) guineense, afirmou que o governo de Bissau pretende saber qual a sensibilidade e receptividade dos representantes da comunidade internacional em relação à mesa-redonda que terá lugar dias 7 e 8 de Novembro, em Genebra.

Para o efeito, foram convidados os embaixadores e representantes de todas as organizações internacionais que cooperam com a Guiné-Bissau, residentes em Bissau ou em Dacar, no Senegal.

O “Fórum de Bissau” servirá basicamente para que o governo possa apresentar aos doadores o “trabalho de casa feito”, nomeadamente um conjunto de documentos de apoio para a mesa-redonda de Genebra, indicou Abduramane Turé, da organização do Fórum.

Entre os documentos a levar para a mesa-redonda e que serão também apresentados no Fórum de Bissau encontram- se o DENARP (Documento de Estratégia Nacional para a Redução da Pobreza), o PAP (Plano de Acção Plurianual) e o PTIP (Programa Trienal de Investimento Público).

Considerado a “última tábua de salvação” da Guiné- Bissau, em termos de captação de fundos, a mesa-redonda de Genebra tem sido classificada pelas autoridades de Bissau como palco de mobilização de cerca de 355 milhões de dólares.

Este valor faz parte de um pacote de 441 milhões de dólares que o executivo de Bissau tem projectado como necessários para o relançamento económico e social do país, descapitalizado devido à ausência de financiamentos externos em virtude das crises dos últimos nove anos.

O governo afirma ter já garantidos cerca de 87 milhões de dólares nos poucos projectos de desenvolvimento em curso no país, necessitando apenas de um reforço suplementar, contando para o efeito com a mesa-redonda de Novembro.

Caso o governo guineense venha a conseguir mobilizar os fundos de que precisa na mesa-redonda dará início a um vasto programa de relançamento em áreas como a educação, saúde, construção de infra-estruturas rodoviárias, tudo no âmbito de um programa de investimento público para executar durante três anos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH