Empresa siderúrgica sul-africana adquire activos de duas empresas falidas em Moçambique

9 October 2006

Maputo, Moçambique, 09 Out – A Mittal Steel South Africa assinou sexta-feira em Maputo o contrato de promessa de compra e venda de duas empresas falidas, a Companhia Siderúrgica de Moçambique (CSM) e a Companhia Moçambicana de Trefilarias (Trefil).

As duas empresas eram controladas pelo empesário português António Simões.

A sua “holding”, a Empresa Metalúrgica de Moçambique, tinha adquirido uma participação de 60 por cento nas duas empresas por ocasião da sua privatização há década e meia mas nunca avançou com os investimentos prometidos.

Em resultado da falta de investimento, a CSM encontrava-se sem funcionar há cinco anos e a Trefil há mais de um ano.

A Mittal negociou o acordo de sexta-feira com o Instituto de Gestão das Participações do Estado (Igepe), dado que o Estado moçambicano ainda detem 40 por cento de cada uma das duas empresas.

A Mittal acordou em pagar 11,4 milhões de dólares pelos activos da CSM e da Trefil, menos de metade do que as duas empresas devem ao tesouro de Moçambique.

Enrico Reatto, da Mittal, garantiu que a sua empresa vai investir de imediato 10 milhões de dólares apenas para pôr as fábricas a funcionar de novo esperando ele que a produção possa ser retomada dentro de seis meses.

A empresa sul-africana pretende que a CSM começe a produzir ferro para a indústria de construção civil e que Trefil produza arame, arame farpado e pregos.

A Mittal Steel South Africa faz parte do conglomerado Arcelor-Mittal, o maior grupo siderúrgico do mundo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH