Montepio Geral espera desfecho rápido de negociações de venda do banco em Moçambique

12 October 2006

Lisboa, Portugal, 12 Out – O Montepio Geral prevê para breve o desfecho das negociações em curso, com mais do que um candidato, para vender o Banco de Desenvolvimento e Comércio (BDC) em Moçambique, afirmou quarta-feira em Lisboa o presidente da instituição.

Falando à agência noticiosa portuguesa Lusa, Silva Lopes referiu que o “processo tem já uns meses”, mas agora o Montepio Geral está a “actuar mais activamente” para chegar a um acordo para a venda do BDC, onde tem uma participação maioritária de cerca de 60 por cento do capital.

Dando a entender que as negociações estão em fase adiantada, Silva Lopes afirmou que há “mais do que um interessado e espera agora que seja um processo rápido até levar ao Conselho Geral (do Montepio) uma proposta concreta”.

A razão para vender, referiu o presidente do conselho de administração do Montepio Geral, é que uma operação como a do BDC em Moçambique “exige esforços, nomeadamente de investimento e de gestão”, difíceis de suportar para uma instituição da dimensão do Montepio Geral, uma associação mutualista.

Entre os interessados não há nenhum grupo português, disse Silva Lopes, escusando-se a confirmar informações de que o First National Bank (FNB), da África do Sul, é o maior interessado, como tem sido referido na imprensa moçambicana, e que houve contactos também com a Geocapital, do empresário de Macau Stanley Ho.

Silva Lopes espera “não levar muito tempo até apresentar uma proposta concreta” ao órgão superior da instituição, salvaguardando, contudo, que o processo pode levar, depois, alguns meses “até à concretização da venda, com as necessárias aprovações das autoridades de Moçambique”, nomeadamente do banco central.

Entretanto, o presidente do Banco de Desenvolvimento e Comércio de Moçambique (BDC), Hermenegildo Gamito, reafirmou quarta-feira que o empresário de Macau Stanley Ho continua interessado em comprar a participação do Montepio Geral naquele banco.

“Os potenciais interessados na compra do BDC, Stanley Ho incluído, estavam e continuam interessados em comprar o banco”, sublinhou Gamito, depois de ter sido noticiado que o empresário de Macau teria desistido do negócio.

Além de Stanley Ho, o First National Bank (FNB), o mais antigo banco da África do Sul, também está na corrida pela aquisição da quota do BDC, acrescentou Hermenegildo Gamito.

O BDC conta com 20 mil clientes e tem uma quota de mercado de mercado de 2 a 3 por cento, tendo registado em 2005 um lucro de 1,2 milhões de dólares, que subiu para cerca de 2 milhões de dólares nos primeiros seis meses deste ano.

Além do accionista maioritário Montepio Geral, o segundo accionista de referência do BDC é o presidente do seu conselho de administração, Hermenegildo Gamito, que detém 18,5 por cento do banco através da sua “holding” Sociedade de Controlo de Participações Sociais, estando o restante capital nas mãos de pequenos investidores moçambicanos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH