Empresa pretende construir oleoduto entre Maputo e Nelspruit, África do Sul

13 October 2006

Maputo, Moçambique, 13 Out – A Petroline Holdings pediu autorização a Moçambique para construir um oleoduto para transportar gasolina e gasóleo de Maputo para Nelspruit, na África do Sul, um investimento de 1700 milhões de rands.

A Petroline, que tem por accionistas a Empresa Nacional de Petróleos de Moçambique (Petromoc) e por três empresas privadas, duas das quais da África do Sul, apresentou o pedido à entidade reguladora moçambicana do sector energético para construir o oleduto que irá transportar 1500 milhões de litros de combustível por ano.

De acordo com o director da Petroline Johan de Vos, a província de Mpumalanga, na zona oriental da África do Sul a norte do KwaZulu-Natal e fazendo fronteira com a Suazilândia e Moçambique, consumirá a totalidade do combustível transportado de Maputo para Nelspruit, a capital da província.

De Vos disse ainda que após o regulador ter aprovado o oleoduto, a Petroline vai negociar o enquadramento fiscal após o que se seguirá a realização de um estudo de impacto ambiental.

O oleduto terá um diâmetro de 50 centímetros e ficará enterrado a um metro de profundidade com os trabalhos de construção a demorarem dois anos.

Os quatro accionistas da Petroline são o Consórcio Woesa (que significa Mulheres no Petróleo e na Energia, SA, Women in Oil and Energy SA na língua inglesa), uma empresa apoiada por bancos sul-africanos, Gigajoule International, o operador de 100 quilómetros de oleodutos em Moçambique, a Empresa Nacional de Petróleos de Moçambique, a empresa pública Companhia de Desenvolvimento de Petróleo de Moçambique e um grupo de pequenos investidores de Moçambique. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH